Acessibilidade na web: como pode melhorar suas vendas online

Ouvimos muito falar sobre acessibilidade quando se trata das estruturas das ruas, transporte público, acesso a estabelecimentos e afins. Mas, e quanto à internet? O especialista em e-commerce Thiago Sarraf, junto ao diretor de vendas da VTEX, Patrick Marquart, fizeram uma live no Instagram na quarta-feita às 16 horas para falar sobre acessibilidade na web: como pode melhorar suas vendas online.

 

O gatilho

No começo do mês, Thiago Sarraf foi convidado para participar do treinamento do Google e do movimento Web Para Todos sobre acessibilidade na web, e desde então, estabeleceu como objetivo para si mesmo, divulgar sobre o assunto.

 

Como especialista e consultor de e-commerce, logo pretende implantar as melhorias para as lojas de seus clientes e assim, deixar a web acessível para pessoas com algum tipo de deficiência.

 

Acessibilidade na Web: como melhorar suas vendas online

Hoje, sabemos que graças aos acessos mobile, a internet já chega a mais de 50% das casas brasileiras. Dados também mostram o crescimento dos negócios online e as boas perspectivas que esse ramo tem para os anos que estão por vir.

No entanto, assim como o país ainda sofre com a falta de estrutura para acomodar pessoas com alguma deficiência, seja ela motora, cognitiva, visual ou auditiva, o e-commerce também não tem.

Apenas 5% dos sites de todo o mundo são friendly para pessoas com deficiência. A internet veio para facilitar e agilizar os meios de comunicação, informação e, inclusive, compras, por isso não deve ser segregada para pessoas com deficiência.

 

Nada mais justo que uma pessoa com deficiência visual possa fazer suas compras pela internet assim como todos nós.

 

Infelizmente, esse assunto ainda não é muito popular, pois se não atinge a maioria, muitos tendem a não se importar.

Acesse às redes sociais do Thiago Sarraf para conferir a live completa com a presença do Patrick Marquart.

 

Acessibilidade para todos

Não são apenas as pessoas com a deficiência definitiva que podem usufruir dos benefícios que seu e-commerce amigável à acessibilidade.

 

Existem, basicamente, três tipos de deficiência:

– Definitiva: quando a pessoa nasce portadora da deficiência ou a “adquire” permanentemente.

 

– Temporal: debilidades que são passageiras. Como uma quebra de braço e cegueira temporária.

 

-Situacional: debilidade que varia com a situação do momento, como por exemplo, uma mãe com uma criança recém-nascida e, assim, impedida de usar ambas as mãos em determinada tarefa.

 

Ou seja, qualquer pessoa pode passar por uma situação em que haverá dificuldade em realizar uma compra na internet, por exemplo. Seja um braço quebrado, uma cirurgia nos olhos ou segurando algo ou alguém.

 

Como isso pode melhorar suas vendas?

Só no Brasil, temos mais de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. Além dos idosos que, ao decorrer da idade avançada, também desenvolvem algum tipo de debilidade, normalmente associada à visão.

 

Só em 2017, essas pessoas movimentaram 22 bilhões de reais no mercado de bens de consumo.

Em outras palavras, em questões comerciais, deixamos passar um mercado muito promissor e com alto poder de consumo.

Se seu e-commerce não é adaptável, a pessoa com deficiência irá escolher aquele que é.

 

Infelizmente, esse mercado ainda não parece tangível para muitos, pois não é a realidade da maioria.

O assunto não é disseminado, não há conscientizações em massa, e assumimos que pessoas com algum tipo de deficiência são dependentes de outras e não tem a necessidade de utilização da internet ou mesmo fazer compras por ela.

 

Porém, assim como vemos movimentos para conscientização do ir e vir de pessoas com algum tipo de deficiência, como melhoria nas ruas para cadeirantes e deficientes visuais, linguagem de sinais em programas de televisão, libras, ou seja, acessibilidade.

 

Temos que trazer essa acessibilidade para a internet e as lojas virtuais também. As pessoas com deficiência são independes, merecem ser reconhecidas e terem as diversas ferramentas adaptadas à elas.

 

A empatia

Além dos dados de mercado, além dos números, o que temos que ter em mente para o real entendimento, é a empatia.

O ato de querer mudar, quando não somos nós quem sofremos com determinada dificuldade, é se sensibilizar com as dificuldades e querer mudar.

 

Já tentaram realizar uma compra sem poder enxergar? Ou com movimentação reduzida? Os e-commerces não são adaptados para acessibilidade, impedindo que essas pessoas tenham poder de compra.

 

A live está disponível integralmente no Facebook.

Acompanhe o instagram do Thiago Sarraf para não perder as lives, toda quarta, às 16 horas.

 

Saiba o que está acontecendo com os e-commerces 

Deixe um Comentário

Entre em contato