Como definir o preço de venda do produto

Neste artigo vamos falar sobre como definir o preço de venda do produto.

Decidir o preço de venda dos seus produtos é mais complicado e exige mais contas do que aparenta.

Para a infelicidade de muitos, não é só colocar 50% ou 100% a mais sobre o valor de compra.

Muito menos copiar o preço do concorrente.

 

Aliás, essas são as contas que você deve fazer caso não queira perder dinheiro.

Ainda mais depois do efeito marketplace, no qual as brigas por centavos se tornou tão assídua para conquistar o cliente, que o lojista não sabe mais se está ganhando dinheiro de verdade.

A precificação é um passo sério do seu e-commerce e o trabalho da consultoria é fazer você ganhar dinheiro.

 

Competir com o preço do concorrente

 

Não é porque o concorrente ou lojas em marketplaces vendem o produto a determinado preço, que você é obrigado a vendê-lo também.

Claro que no ponto de vista do cliente quanto mais barato, melhor.

Porém, para o lojista, é impossível manter a loja sem lucrar.

 

Basta esperar que uma hora o concorrente quebra.

Manter os produtos a um preço abaixo do mercado significa que ou aquele empreendedor não está ganhando dinheiro… ou ele está deixando de pagar algo.

 

Leia mais sobre Mentiras do E-commerce

 

Não deixe de ganhar dinheiro para competir com negócios que não trabalham legalmente ou que estão fadados à falência.

Não significa que você pode colocar os produtos a um preço muito acima do mercado também.

Afinal, você também quer vender.

 

Como definir o preço de venda do produto

E-commerce é matemática. Se você não gosta, procure alguém que goste para te ajudar.

Porque sim, o seu preço de venda é definido através de contas e mais contas.

Não é um número estipulado porque você acha que está ganhando dinheiro, pois muitas vezes pode até estar perdendo.

 

E é importante ter essas contas certinhas, pois são elas que vão decidir se você pode fazer uma promoção de frete grátis ou quem sabe fixar o seu frete.

 

Preço de custo

Básico. É o valor que você pagou por esse produto. Caso você seja o próprio produtor, é o preço de confecção dele.

O primeiro e mais importante item, pois é a partir desse valor que o restante da sua conta terá de ser feita.

 

Se você adquire um produto a R$50, o seu preço de venda é no mínimo R$100.

Marcar o dobro nem sempre é o suficiente, pois depende da estrutura de custo do seu negócio.

 

Operacional

O custo para a empresa existir, ou seja, aluguel, água, luz, funcionário, etc.

Alocamos algo em torno de 7 – 10% do valor.

 

Imposto

O maior sócio de qualquer empresa.

14% é o valor se for optante simples, já pensando em uma faixa superior.

Caso seja lucro real e lucro presumido, é necessário fazer as contas do que você vai pagar.

Alguns porém, têm dedução e também é preciso levar em consideração.

 

Vamos falar do Simples que é a maioria das empresas brasileiras.

No começo, o imposto inicia-se em 6 – 6.8%.

 

Marketing

O produto não vai vender se você não divulgá-lo.

Em um mkup de 2,5, vamos estimar 10% de investimento em marketing para esse modelo de negócio.

Mas, depende muito do segmento.

 

Moda e acessórios requer mais dinheiro, pois necessita de mais marketing para poder convencer o consumidor.

A venda fica mais fácil em itens cuja procura é alta, por isso o investimento em marketing é menor.

 

Plataforma

Custo para poder fazer a venda.

O custo médio das plataformas, alocamos 3%.

 

Fraude

1% de alocação.

Sim, é preciso considerar isso também para definir o preço do produto.

Ainda mais no Brasil cujo não falta inventividade por parte dos pilantras em querer fraudar empresas.

 

Pagamento

Depende da quantidade de parcelas que você colocar.

Em um parcelamento de 3 – 6 vezes sem juros, podemos decicar 6% desse valor para cobrir tanto cartões de crédito quanto boleto.

 

Embalagem

Parte importantíssima para a experiência física da loja virtual, é um item que requer atenção.

É preciso entregar os produtos em caixas bonitas e bem embaladas, melhorando a experiência do usuário para com a sua loja.

 

Enviar produtos em caixas amassadas ou usadas causa sensação de desleixo no consumidor.

E pode ser que ele pense duas vezes antes de comprar de novo no seu e-commerce.

Portanto, alocamos entre 1 – 2%.

 

Entrega

Essa é a variável que pode mudar bastante dependendo da sua modalidade de entrega.

Para quem trabalha com os Correios, hoje estamos em 8%.

 

“Mas com 8% a conta do frete grátis não bate”

Lembrando que 8% é sobre cada produto.

Então, dependendo do valor do seu item, a partir de 2 produtos, o frete grátis já vale a pena e entra como estratégia de marketing.

 

Lucro

Sabemos que não tem mais retornos fantásticos, a bolsa desvalorizou e a poupança também já não rende mais o que rendia.

Por isso, os lucros alocaram em 9% que é um valor razoável.

E a porcentagem do lucro é o dinheiro que vai sobrar no seu bolso.

 

Conclusão

A definição do preço de venda é um quesito onde muitos e-commerces pecam.

Afinal, preços muito elevados não vendem e preços muitos baixos não dão lucro, por isso os preços precisam ser definidos com muito cuidado e muita conta.

 

Isso vale para todos os produtos que você vai comercializar em sua loja virtual.

Definir o preço de venda, quando bem feito, é um diferencial que você pode fazer para a sua loja.

Quanto antes for feita a precificação, menos bagunçado seu negócio será.

 

Sempre recomendamos definir o preço de venda do produto no processo ainda de abertura de e-commerce, mas nunca é tarde para fazer as contas certinhas.

E não tem problema algum alterar preços, afinal, seus custos fixos podem alterar, o custo do correio também, bem como o preço do fornecedor.

 

Mais do que se ater a números grandes ou pequenos, muito menos os números do concorrente, é fazer as contas certinhas e verificar se seu valor está dentro do mercado.

Vou deixar o link de uma tabela de precificação que uso com meus clientes para download!

 

 

Deixe um Comentário

Entre em contato