O mercado de e-commerce ontem e hoje

Em menos de três décadas o e-commerce cresceu exponencialmente. Neste artigo, vamos falar sobre o mercado de e-commerce ontem e hoje, fazendo alguns parâmetros e comparações da evolução desse mercado.

 

Pensar em fazer compras via internet é mais fácil do que nunca hoje. Graças aos avanços da tecnologia, qualquer tipo de compra é feita com um toque na tela do celular.

O mercado de e-commerce é muito promissor no Brasil e mostra crescimentos otimistas mesmo em tempos de crise.

Com menos de 25 anos, o e-commerce brasileiro cresce, revoluciona e está mudando a forma de compra dos brasileiros.

 

Aqueles com pouco mais de 20 anos vão se lembrar da dificuldade que era a internet discada.

Não dava para usar o telefone ao mesmo tempo e a conta ia lá para as alturas por algumas horas de conexão.

Um tempo depois, surgiram os modens, com uma capacidade média de 1GB de envio de dados.

O download de uma música já acabava com o seu pacote. Já foi uma grande revolução quando os celulares passaram a se conectar com a internet, quem diria ter conexão própria!

Mas, com valores ainda pouco acessíveis.

 

Quando a internet via mobile parou de ser um luxo reservado à classe A e B, o Brasil ultrapassou a marca dos 50% das casas brasileiras com acesso à rede.

E quem pensou que tudo isso aconteceria dentro de uma geração.

 

Os mais velhos ainda resistem um pouco às inovações e às compras pela internet, com óbvio medo de fraudes, afinal, você não está vendo o produto físico, mas uma representação dele através de imagens que podem nem ser reais.

A geração dos mais jovens, porém, jogou-se de braços abertos às inovações tecnológicas e são consumidores ativos desse mercado.

 

O desenvolvimento do e-commerce

O registro da primeira loja online foi em 1995, com o surgimento da Amazon nos Estados Unidos.

Até então, a internet não era bem desenvolvida, muito menos acessível do jeito que é hoje.

O e-commerce no cenário brasileiro começou a se desenvolver pouco tempo depois, embora não haja registros oficiais, a Booknet é considerada uma das primeiras lojas virtuais.

Mais tarde, a Booknet viraria o Submarino e unindo-se às Americanas dariam origem ao grupo B2W.

 

Em 1999 grandes players como Americanas e Mercado Livre surgiram no país, dando início à grande revolução das compras online.

Em 2001, o setor faturava aproximadamente 0,5 bilhões.

Já em 2007, esse montante pulou para R$6,3 bilhões de reais. Em pouco mais de cinco anos, o setor do comércio eletrônico cresceu mais de 1000%.

 

A qualidade do nosso e-commerce é um reflexo da forma como as empresas se adaptaram ao longo dos anos.

De acordo com a ABCOmm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), a estimativa para 2023 é que o setor deve atingir a marca de 130 bilhões em faturamento e mais de 100 milhões de e-consumidores.

 

E pessoalmente, acredito que o e-commerce ainda vá continuar a crescer dois dígitos pelos próximos 10 anos.

 

O mercado de e-commerce ontem e hoje

O Mercado De E Commerce Ontem E Hoje2  1120w

 

Um precursor das compras online são as televendas.

Não precisamos voltar muito tempo para lembrar-se dos canais de televendas, cujos programas eram só propagandas de vendas por telefone.

Quem não se lembra do canal Shoptime que era dedicado às televendas?

 

O e-commerce é como um canal de televendas, mas quem encontra os produtos é o próprio consumidor.

Claro que existem as publicidades direcionadas, porém, elas não vão até você sem nenhum motivo.

Hoje, todo o poder de compra está nas mãos dos consumidores.

O marketing digital se faz efetivo quando o produto certo é oferecido na hora certa para o consumidor certo.

Não é mais sobre divulgar os produtos e um canal de televisão para que estiver assistindo, é direcionar suas verbas em publicidade para compradores em potencial.

 

Traçando parâmetros do e-commerce quando ele iniciou os meios de compra, pagamentos e até mesmo entregas não são os mesmo de hoje.

Afinal, é possível fazer compras por meio de diversos dispositivos; há diversas formas de pagamento, crédito, débito, boleto, dinheiro, parcelamentos; e os correios não são mais o único meio de entrega disponível para a sua loja.

 

Duas décadas depois e muitos avanços da tecnologia, é lógico que houve mudanças no cenário do e-commerce brasileiro.

Especialmente quando falamos em consumo e comportamento do consumidor.

 

O comportamento do e-consumidor

O jovem é quem está ditando as tendências de compras e comportamentos dos consumidores online.

Não é para menos, tais jovens ou nasceram conectados ou, no máximo, são da época da internet discada.

Uma vida sem celular conectado 24hrs, sem poder olhar as notícias no facebook ou tendências no instagram, não são nem mais cogitadas.

 

Para eles, é muito simples entrar em uma loja, ou nas redes sociais dela, e procurar um produto que lhe agrade e realizar a compra.

É como ir ao shopping, mas agora o shopping está ao alcance dos dedos.

 

A internet permitiu que os consumidores se separassem por nichos muito distintos e específicos.

Tornando-se possível analisar com precisão quem são seus consumidores, hábitos de consumo, valores gastos, promoções efetivas e, então, direcionar cada propaganda, cada oferta de acordo.

“Se a marca não fala a minha língua, não tem porque eu comprar”.

 

O comportamento do consumidor, hoje, comparado ao início das operações de e-commerce, é muito mais específico e exigente.

O clássico funil de vendas do marketing está deixando de existir no e-commerce, uma vez que o comprador não passa mais por todos os processos do funil e pode recomeça-lo em qualquer momento.

 

Profissionalização do mercado

O Mercado De E Commerce Ontem E Hoje 300x270

 

Outra grande mudança no mercado de e-commerce é a profissionalização que esse mercado está oferecendo aos profissionais.

Hoje, existem categorias e empregos específicos para o e-commerce.

São cursos, palestras, eventos e profissionais que contribuíram para a evolução desse mercado.

Ainda não existe um curso de graduação específica no e-commerce, mas cursos de marketing e especializações já abordam esse assunto.

Isso sem contar os próprios cursos de profissionais do mercado que visam disseminar informações e produzem seus próprios métodos de ensino.

 

Assim, ficou muito mais simples e acessível de pequenos empreendedores entrarem no mercado de e-commerce.

Por falar em pequenos empreendedores, essa foi uma grande mudança que ocorreu no mercado de e-commerce também.

 

Antes de o Google entrar com sua ferramenta de links patrocinados e antes dos comparadores de preço como Buscapé, o mercado era centralizado em grandes empresas como os grandes Marketplaces.

O e-commerce hoje possui muitas lojas que nasceram no online, de pequenos empreendedores e que faturam milhões por mês, graças à profissionalização e descentralização do mercado.

 

As mudanças do hoje e do amanhã

Existem diversos outros pontos que participaram do processo de evolução do e-commerce e que ainda estão em constante estado de mudança.

Pagamentos, Logística, compras, reputação, marketing….

E a tendência é que a cada vez que as tecnologias se inovem, o mercado do e-commerce também passe por transformações.

 

O e-commerce representa apenas 5% das vendas do varejo, ou seja, quantos segmentos e oportunidades ainda existem para serem explorados.

Todos os anos experimentamos ondas novas, produtos novos e inovações que favorecem ainda mais as vendas online.

 

As perspectivas para esse mercado continuam muito positivas e o que nos resta, como profissionais deste meio, é nos manter atualizados e estar sempre estudando e acompanhando tendências para que não sejamos pegos no obsoleto.

O consumidor muda, as plataformas mudam, os meios de vender mudam.

 

O e-commerce é, principalmente, um mercado cheio de novidades e mudanças rápidas.

Basta observar todas as mudanças que ocorreram em menos de 30 anos de mercado.

Estamos caminhando em direção às tendências de bens não duráveis como viagens, ingressos de shows, cinema, hotéis, transporte e até mesmo alimentação.

Para não ficar para trás nas mudanças que o mercado passa não se pode deixar de acompanhar essas mudanças de perto e estar pronto para atualizações, sempre.

 

Artigo originalmente publicado na Shiptimize

 

Deixe um Comentário

Entre em contato