fbpx

No artigo de hoje, vamos falar sobre o impacto do corona vírus no e-commerce.

Iniciado na China e rapidamente se espalhou pelo mundo inteiro, o corona vírus deixou a todos, inclusive o Brasil, em estado de pandemia.

Para conter a disseminação do vírus, os decretos dos governos mundiais e organizações de saúde foram para que evitassem aglomeração.

Dessa forma, foram tomadas medidas como fechamento de shoppings e de comércios que não fosse considerados serviços essenciais.

Tais como mercados, postos de combustível, farmácias, etc.

Desde home offices ao não funcionamento de pequenas lojas, a situação atual do país está causando alvoroço entre as pessoas.

O impacto do corona vírus no e-commerce

impacto do corona vírus no e-commerce

Apesar de ser online, a situação de autoisolamento decretada afeta sim o e-commerce.

Em um primeiro momento, haverá histeria para bens de consumo como comida, farmácia, e itens de higiene pessoal.

As pessoas, com medo pelo futuro incerto, param de realizar as compras de demais itens online como eletrônicos, roupas, joias e afins.

Decretado estado de quarentena, muitos pequenos e médios empreendedores autônomos físicos sofrem em suas vendas.

Boa parte da operação de e-commerce também é física como embalagens, estoque e expedição.

Muitos lojistas já estão sentindo o impacto da crise com queda brusca no número de pedidos.

A minha projeção é que já agora para o mês de março, haja uma queda de 40% nas vendas.

E para os próximos dois a quatro meses, acredito que haja uma queda de aproximadamente 80%.

O cenário atual não é positivo, não vamos mentir para ninguém.

Em um segundo momento, porém, as pessoas vão se acostumar a ficar em casa e enquanto possuirem crédito, a tendência é que as compras voltem a ser online.

Assista ao vídeo Impacto do corona vírus no e-commerce

Como reagir?

impacto do corona vírus no e-commerce

Continue seu relacionamento com o cliente, informe-o que as operações online estão funcionando e apenas o prazo de entrega sofre alterações devido às transportadoras e correios.

Aposte em promoções

Frete grátis ou fixo, condições de parcelamento, descontos, seja o que for mas, estimule o cliente a continuar comprando.

A tendência é sim que as vendas diminuam.

Por isso sua loja deve estimular a movimentação do mercado, do dinheiro e influenciar o consumidor a comprar.

Faça estoque

Muitos lojistas tem a integração de estoque com a loja física, por isso deixe tudo para o online enquanto o físico não puder atuar.

Se sua operação for apenas online, se puder, aumente seu estoque.

O grande problema a ser enfrentando em longo prazo são os estoques.

Devido a muitos produtos serem originados da china, a tendência é que os fornecedores fiquem sem estoque e, por consequência, a sua loja também.

Evite depender de apenas um fornecedor e aumente a sua quantidade de estoque, dos produtos da curva A e B.

Dessa forma, a perda de venda por falta de produtos é evitada.

Dispensar fornecedores ou colaboradores?

O impacto da crise é sentido especialmente por pequenos e médios lojistas.

Com a queda das vendas, o pequeno e médio empreendedor, que dependia de tais vendas para pagar funcionários, aluguel e novos produtos, fica perdido.

Contudo, nem pense em dispensar fornecedores, prestadores de serviços e funcionários.

É preciso que o mercado continue funcionando e, dispensando funcionários, significa mais uma pessoa que deixará de comprar online, com medo do futuro.

Além do mais, esse funcionário não estará mais disponível quando a crise vier ao fim.

Os fornecedores a mesma situação.

A não ser que seja questão de quebra de empresa ou não, é uma ação que desaconselho fortemente.

Estamos sentido o impacto do corona vírus no e-commerce. Contudo é tentar estabilizar a situação e não prejudicar o restante.

Também não abra a mão do trabalho de marketing.

Conquistar de volta o ranqueamento na página do Google pode te custar muito mais depois.

É hora de abrir um e-commerce?

impacto do corona vírus no e-commerce

O fechamento das lojas físicas abriu espaço para muitos lojistas consideraram a abertura de uma loja virtual.

E por que não apostar nisso agora?

Mesmo quando a crise passar, você já vai ter seu negócio online encaminhado e outra forma de aumentar as vendas.

O impacto do corona vírus no e-commerce é grande, porém pode ser maior no quesito físico.

Venda pelo whatsapp, pelo instagram, crie sua loja própria, que seja.

Momentos de crise pedem que nos reinventemos para passar por isso.

Ainda sem muito conhecimento sobre o e-commerce?

Que tal aproveitar o tempo home Office para estudar?

Disponibilizei dois cursos para quem deseja conhecer mais e abrir sua loja virtual:

São dois cursos completos com a metodologia Doutor E-commerce aplicada nas consultorias.

Aproveite os preços especiais que disponibilizamos!

Crise

Por hora, temos que agradecer e torcer para essa pandemia não se tornar uma crise de crédito.

Pois é, nesse momento que as coisas irão piorar bruscamente.

30% das empresas chinesas sumiram com a pandemia.

É preciso trabalhar para que o mesmo não aconteça em nosso país.

Não é hora de brigar com concorrente, é hora de unir forças para a economia continuar fluindo.

O impacto do corona vírus no e-commerce já pode ser sentido em diversos níveis e acredito que ainda vamos sofrer por mais alguns meses.

Quem for possível, libere os funcionários para home Office.

Evite aglomerações e lave sempre as mãos.

Quanto mais nos precavermos agora, menor será o impacto do corona vírus no e-commerce e em demais áreas.

Estamos realizando diversas Lives falando sobre o assunto. Acompanhe o Instagram do Thiago Sarraf e seu canal no Youtube

Deixe um Comentário

Abrir whastapp
Precisa de Ajuda?
Olá posso te ajudar?