Atenção, fornecedores de e-commerce: parece que suas plataformas estão deixando a desejar! De acordo com a “Pesquisa Plataformas de E-commerce 2014”, realizada pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), 25% dos lojistas virtuais está insatisfeito com a sua plataforma.

Ainda segundo o estudo, que analisou a tecnologia a partir da utilização e também do faturamento, a incapacidade de personalização ainda é uma das maiores razões de insatisfação por parte dos empresários – cerca de um terço dos lojistas apontou que as plataformas são oferecem a possibilidade de customização, que hoje já é esperada pelos consumidores.

Entre as soluções mais utilizadas, estão Magento – com mais de 20% das lojas em seu domínio – e OpenSource (como Word Press e PrestaShop). Enquanto isso, as plataformas de empresas desenvolvedoras mais presentes no mercado são FastCommerce (5,9%), VTEX (5,6%) e Cia Shop (4,4%). Entre as estrangeiras, destacam-se Rakuten (3,6%) e Hybris (0,6%).

Em questões de faturamento, detectou-se que 45,6% da movimentação proveniente do e-commerce é fruto de lojas virtuais com plataforma própria. Em segundo lugar, está a Magento, com 27,8%, e a VTEX, com 9,8%.

A pesquisa, no entanto, também conseguiu observar pontos positivos em relação ao uso das plataformas: 78% dos lojistas afirmaram estar satisfeitos em relação à estabilidade de suas soluções e 70% elogiaram a velocidade de carregamento de seu sistema.

Porém, como vimos, nem tudo são flores, certo? É preciso operar e desenvolver melhorias que assegurem a satisfação dos empresários e, como vimos aqui, seria interessante começar pela possibilidade de maior customização nas plataformas – afinal, cada segmento precisa de estratégias diferentes para atrair consumidores diferentes, certo?

Deixe um Comentário

Abrir whastapp
Precisa de Ajuda?
Olá posso te ajudar?