Doutor E-commerce –

 Hoje em dia as várias empresas e comércios existentes encontram mil e uma vantagens que até pouco tempo eram impensáveis, como as do marketing para e-commerce.

 

Contudo, para desfrutar desses benefícios, é preciso entendê-los melhor.

De fato, ao falarmos deste assunto estamos colocando, na mesma pauta, duas das maiores tendências dos últimos vinte ou trinta anos.

 

Trata-se do marketing digital, que circula pela internet e pela esfera digital como um todo.

Além do próprio e-commerce, que pode ser entendido como loja virtual, em um sentido mais estrito e reduzido ao site de vendas de uma única marca ou empresa.

 

Mas, também pode ser entendido como “comércio eletrônico” no geral, incluindo várias frentes.

Por exemplo, uma empresa de limpeza de colchão pode levar suas soluções comerciais, mesmo que sejam um serviço e não a venda de um produto, a um site próprio.

 

Bem como a um marketplace, uma plataforma similar ou mesmo um aplicativo de celular.

Tudo isso pode entrar na classificação de e-commerce, se aplicarmos a palavra em seu sentido mais amplo e abrangente.

Quando realmente conciliamos isso com o marketing digital em suas melhores estratégias, temos uma fórmula de sucesso.

 

Lembrando que até pouco tempo atrás o brasileiro médio duvidava consideravelmente da venda realizada pela internet, viesse ela acompanhada do marketing digital ou mesmo do offline, como um panfleto distribuído na rua, que encaminhasse para o site.

Isso porque a dúvida recaia não sobre esta ou aquela marca, ou mesmo sobre a eventual presença de marketing e gatilhos de venda.

 

O brasileiro até se dá bem com a publicidade, pois gosta de comprar e é considerado bom pagador.

O grande problema era a desconfiança quanto a fraudes e afins.

 

O que colocava boa parcela da população em uma situação de medo na hora de informar os dados do cartão de crédito e depois simplesmente ficar esperando receber o produto em casa.

Contudo, as plataformas de venda evoluíram bastante nos últimos anos, sobretudo no sentido de certificações e mecanismos de segurança, o que começou a deixar as pessoas mais à vontade na hora de pagar por algo como moveis de cozinha.

 

Até pela facilidade de poder visitar dezenas de lojas sem precisar sair de casa, pegar trânsito, sol, chuva, gastar dinheiro e até correr riscos nas grandes avenidas da cidade. Sem falar em mudanças culturais mais abrangentes.

Como o home office ou a crise da pandemia iniciada em 2021, que simplesmente aceleraram a digitalização em proporções nunca vistas. Basicamente, é como se a venda pela internet tivesse crescido dez anos em um único ano.

 

Outra tendência inegável, que tem tudo a ver com o assunto que estamos tratando aqui e que vão ajudar a elucidar tudo o que segue, é a das novas gerações de clientes, compradores e consumidores em geral, que mudou consideravelmente.

Se antes era normal uma loja do varejo crescer no boca a boca, graças a um atendimento bem dado e produtos de qualidade, hoje isso não basta para nenhuma marca, que obviamente vai precisar marcar presença na esfera online também.

 

Por outro lado, se era aceitável um cliente que compra algo de uma loja de uniforme profissional masculino ficar pendurado no telefone tentando conversar com a vendedora, hoje ele simplesmente recorre à internet, que é bem mais prática e exigente.

Tudo isso mudou consideravelmente a postura de uma geração que já nasceu com acesso redobrado à informação, à internet e até a equipamentos que podem ir desde computadores, até smartphones e tablets em geral.

 

Naturalmente, tudo isso influencia e muito o comportamento e a expectativa desses clientes em potencial, que passam a ser muito mais exigentes.

Sendo que entre essas exigências está a facilidade de um e-commerce eficiente e bem implementado.

 

Exatamente por motivos como que desenvolver este próprio conteúdo é relevante, para que o leitor conheça melhor os principais benefícios de utilizar estratégias de marketing para e-commerce, unindo duas frentes incríveis.

Até porque, muitas vezes o empresário ou gestor de vendas vai ler algo na internet, chegando até a implementar novidades com base nisso, mas nem sempre elas saem como desejado, portanto, é preciso encontrar informação de qualidade.

 

Sendo que pode haver mudanças consideráveis entre vender uma cortina blackout para varanda ou anunciar um serviço como limpeza de sofá.

Mas, ainda assim, há princípios que se aplicam aos dois casos, por serem universais, como veremos.

 

Diante deste cenário, se o seu interesse agora é precisamente o de mergulhar de cabeça nas vantagens reais de unir o marketing e a publicidade de sua marca ao comércio eletrônico da atualidade, então basta seguir até o fim com a leitura.

 

O que é o e-commerce?

Como vimos, não há uma definição consensual ou inquestionável sobre o que exatamente seja o e-commerce, enquanto modelo de negócio online.

Sobretudo, no sentido de que uma tradução direta pode apontar para todo tipo de comércio eletrônico, ao passo que no Brasil esse termo pode remeter quase exclusivamente às lojas virtuais.

 

Basicamente, a diferença é a mesma que uma loja tradicional, situada em uma avenida ou rua qualquer, e uma loja localizada dentro de uma galeria ou de um shopping center.

No primeiro caso temos a loja virtual, exclusiva de uma marca, no segundo o marketplace, como plataforma multimarcas, que congrega várias lojas, inclusive concorrentes diretas.

 

Em todo caso, uma definição técnica válida e suficiente é justamente a de colocar o e-commerce como modelo de negócio que, em contraposição ao mundo offline, ocorre na esfera digital e online.

 

Assim, todo mundo pode compreender imediatamente a diferença entre comprar um produto para limpeza pesada em um estabelecimento físico, presencialmente, e comprar por um site, qualquer que seja ele, sem ser de modo presencial.

 

Basicamente, hoje os segmentos mais comuns do e-commerce são os seguintes:

  • Celulares;
  • Videogames;
  • Produtos veiculares;
  • Calçados;
  • Perfumes;
  • Produtos de beleza;
  • Livros;

 

Enfim, de certo modo isso não foge muito do que já eram os produtos mais vendidos fora de internet.

 

Estratégia de marketing para e-commerce

marketing para e-commerce

 

O que realmente vem mudar o jogo são as estratégias de marketing digital, seja de produtos como som de carro ou de serviços como o das oficinas mecanicas.

 

Isso também nos ajuda a compreender de modo especial os principais benefícios de utilizar o e-commerce como algo conciliado a esse tipo de estratégia.

Sobretudo, no sentido da democratização operada pela internet, como ficará claro adiante.

 

A democratização digital

Não é possível falar em benefício do digital e do e-commerce sem lembrar que antes o marketing se limitava à panfletagem, aos outdoors e aos anúncios em jornais e revistas locais, algo que toda empresa podia fazer, relativamente.

 

Ou então, saltava para veículos quase inacessíveis, como televisão e rádio.

Hoje já não é assim, pois se poucas empresas podem anunciar no intervalo de uma novela que passava em horário nobre, atualmente a maior vitrine do mundo digital é outra.

 

Trata-se de redes sociais bem populares e de grandes motores de busca, nos quais qualquer um pode crescer, seja pagando anúncios para isso, seja criando conteúdos e postagens, em função de um crescimento orgânico e gratuito.

O maior exemplo é o de um e-commerce que cria um blog para explicar melhor os calendarios personalizados que estão à venda no site.

 

O que isso vai fazer é atrair mais visitantes, que se tornarão leitores, depois leads e enfim compradores.

Mais ainda, com a aplicação de estratégias de marketing como a do funil de vendas, é possível acelerar esse processo cada vez mais, atingindo ainda mais gente.

 

Sem falar em parcerias digitais que podem ser feitas, aumentando igualmente o tráfego e a quantidade de pessoas que vão tendo acesso à marca e à solução daquela empresa.

É graças a essa democratização indiscutível e interessantíssima, que tantas empresas têm migrado para as soluções digitais, tanto do marketing e da publicidade quanto do comércio eletrônico como um todo.

 

O que também já deixa claro como é alto o custo-benefício de tudo isso, já que uma empresa pode começar do absoluto zero sem pôr a mão no bolso, só escrevendo sobre seu segmento ou fazendo anúncios que começam de valores baixos, quase simbólicos.

 

Automação e tecnologia

Por fim, outras vantagens e benefícios incríveis do marketing aplicado ao e-commerce incluem a questão tecnológica, que acaba facilitando o trabalho e ampliando os resultados.

 

Acima falamos do funil de vendas, então o maior exemplo é o dos CRMs (Customer Relationship Management), que fazem a Gestão de Relacionamento com o Cliente.

Assim, uma firma de serviço de gráfica rápida pode atender muito mais clientes, disparando mensagens de SMS ou e-mail customizados em massa, alimentando suas newsletters, encaminhando conteúdo personalizado e daí em diante.

 

Sem falar que o próprio e-commerce pode contar com diversos recursos tecnológicos, como os chatbots, que são robôs de atendimento que operam 24h por dia, sete dias da semana.

Ou ainda, plugins e algoritmos que ajudam a saber quantos clientes entraram na página, quanto tempo passaram nela, se clicaram nos links, se abandonaram o carrinho de compra e ainda podem ser abordados uma segunda vez, e daí em diante.

 

Considerações finais

Em resumo, falar do marketing digital aplicado ao e-commerce é o mesmo que tratar de um futuro que já chegou, como algo que pode mudar radicalmente a história de uma marca.

 

Por isso, acima foi contextualizado o crescimento do e-commerce nos últimos anos, e detalhamos os principais benefícios e vantagens de utilizar estratégias de marketing nele.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um Comentário

Abrir whastapp
Precisa de Ajuda?
Olá posso te ajudar?